Parceiros Voluntários Canoas

Oficinas alertam sobre o cyberbullying

Depreciar, incitar violência, adulterar fotos e dados pessoais com o intuito de criar meios de constrangimento psicossocial. O cyberbullying é tipificado pela Lei 13.185 como uma forma de intimidação sistemática no mundo virtual. Considerando que o acesso à internet cresce anualmente entre os brasileiros, a Parceiros Voluntários de Canoas trouxe o debate do assunto para escolas do município.

Em formato de oficina, o segundo encontro do projeto Arte Legal II: Cidadania sem Bullying guiou estudantes na construção conjunta de conhecimento acerca da violência digital. Tudo começou com a apresentação dos resultados da pesquisa aplicada anteriormente nas turmas. Segundo o levantamento, 52 adolescentes apontaram a incidência de agressões nas redes sociais.

Após, o grupo discutiu casos, consequências e maneiras de se proteger do cyberbullying. Deslancharam manifestações dos alunos sobre experiências vivenciadas. Os participantes também conheceram a fanpage da iniciativa social, onde cada tribo estará divulgando suas ações em prol da educação para a paz. Ao final das reuniões, os jovens ainda anunciaram suas primeiras propostas de expressão artística no combate ao bullying.

Entre as ideias surgiram peças de teatro, paródias musicais, dança e cartazes.

Comentários

Mantenedores